Processo de Candidatura

Ciclos de candidaturas por cada edição do Programa UPskill

Para cada edição do Programa UPskill serão realizados “ciclos” de candidaturas e colocações, visando acelerar o início das ações de formação, sempre que existam turmas criadas, com base nos pedidos das Empresas.

Dentro deste princípio, o primeiro ciclo de colocações decorrerá, idealmente, 3 semanas após o início do processo de candidatura dos potenciais formandos, e terá como base de partida as ações de formação até essa data validadas pela Direção do Programa, como fazendo parte desse “ciclo”. Findo esse período de 3 semanas fecha-se o primeiro conjunto de candidatos que, tendo obtido, no portal de candidatura, classificação acima do valor definido pela Direção do Programa, irão passar à fase de entrevistas.

Nessa data poderá iniciar-se um novo “ciclo” de candidaturas, cujo processo de colocação decorrerá se:

  1. Existirem novas ações de formação a criar, na sequência de novos pedidos de empresas;
  2. Das ações definidas no “ciclo” anterior, se mantiverem vagas por preencher.
  3. A data de encerramento deste segundo ciclo será definida pela Direção do Programa, tendo em atenção (1) e (2).
  4. Podem ocorrer novos ciclos, com a repetição das regras referidas, tendo em atenção (1) e (2)

Poderão existir, em cada edição anual do Programa, N ciclos de candidatura até se completarem as vagas existentes, ou a Direção do Programa decidir terminar o processo de candidaturas (expectavelmente ocorrerão 2 a 3 ciclos).

Caraterização das Turmas (Ações Formativas)

O UPskill corresponde a uma iniciativa do setor empresarial corporizada através da APDC – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações, em parceria com o IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional, IP, e a Academia (Instituições de Ensino Superior), visando criar uma resposta ao problema sentido pelas empresas do setor das TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação), relacionado com a falta de recursos qualificados.

Ao identificarem as suas necessidades de contratação, as Empresas podem optar por um de dois modelos de turma:

  • Turmas Dedicadas – Turmas criadas apenas para uma Empresa que assegura um número de formandos igual ou superior a 15, numa dada tecnologia e localização, de forma a viabilizar a constituição de uma turma totalmente alinhada com os seus objetivos;
  • Turmas Partilhadas – Modelo base de funcionamento do UPskill, em que o número mínimo de formandos necessário para a criação da ação de formação será obtido pelo somatório de pedidos recebidos de várias Empresas, sendo neste caso o conteúdo programático alinhado entre a IES (Instituição de Ensino superior) e o conjunto de Empresas participantes.

Processo de Seleção dos Candidatos para integração no Programa UPskill.

Nota Introdutória
Tendo em atenção que se prevê um elevado número de candidaturas, e estando o Programa limitado às necessidades identificadas pelas Empresas, foi definido um processo de seleção dos candidatos.

Estrutura do Processo de Seleção

Este processo consistirá na realização de:

  1. Um registo de candidatura (Portal online);
  2. Um conjunto de testes cognitivos, de motivação e inglês (Plataforma de testes);
  3. Uma entrevista final (presencial ou por videoconferência).

De forma a alinhar os processos referidos com as melhores práticas de mercado, foi estabelecida parceria com uma empresa especializada em testes de recrutamento, em particular com conhecimento das características do setor das TIC, para a realização da etapa (2).

Detalhe das Várias Etapas

Etapa 1 – Portal Online

É no Portal do candidato que é apresentada a candidatura, com a entrega dos elementos considerados relevantes, nomeadamente:

  1. Nome, NIF, CC, e-mail, telefone/telemóvel, data de nascimento;
  2. O concelho de residência (morada completa se se mostrar necessário);
  3. Serviço de emprego em que está inscrito (se aplicável);
  4. Situação profissional atual (só são admitidas situações de subemprego à data da candidatura e desde o início da formação e ao longo de toda a ação, é necessária a situação de desemprego, para dedicação exclusiva à formação);
  5. Habilitações literárias (exclusão de quem não tenha, no mínimo o ensino secundário completo). Este requisito não anula que haja uma definição de requisitos próprios com exigência superior, em algumas ações de formação;
  6. Área tecnológica a que se candidata e localização da formação (Indicando também uma opção alternativa, caso não seja possível a colocação na 1ª opção).
  7. Informação, explicitando a motivação da candidatura.

Etapa 2 – Testes

Efetuada a etapa 1 com sucesso, a/o candidata/o será remetida/o para a fase de testes online, onde realizará um conjunto de testes.

O teste de Inglês tem caráter de exclusão, ou seja, candidatos que não obtiverem, pelo menos, a classificação B1 não serão aprovados (nota: podem existir ações específicas de formação com exigência superior).

Dos testes realizados, resultará uma classificação, numa escala pré-definida. A Direção do Programa, definirá o nível, acima do qual, os candidatos serão aceites para entrevista. Este valor poderá ser alterado, ao longo do processo, tendo nomeadamente em atenção as vagas disponíveis e a análise do resultado dos testes.

Esta informação ficará disponível na página do candidato no Portal de Candidatura.

Etapa 3 – Entrevistas

Os candidatos selecionados pelo processo anterior, serão colocados na lista de “Entrevista”.

Tendo por base a avaliação efetuada no processo anteriormente descrito e a ordem aí estabelecida, os candidatos serão chamados para uma entrevista, em princípio presencial, a realizar pelo IEFP, e, nalguns casos, por representante de Empresa. A entrevista decorre, por norma, na localidade onde se vai desenvolver a formação (1ª opção do candidato) e será convocada por e-mail.

Da entrevista resultará a seguinte avaliação:

0 – Candidato não aceite
1 – Candidato aceite

Existindo numa dada localização geográfica turmas dedicadas e turmas partilhadas, os candidatos, com base na sua 1ª opção de tecnologia/localização, serão endereçados em primeiro lugar para as turmas dedicadas.

No caso das turmas dedicadas, caso a avaliação do representante da Empresa seja 1, a/o candidata/o considera-se como aceite (sujeito a vaga) e prosseguirá o processo de integração na ação de formação. Caso a avaliação da Empresa não seja 1, prevalecerá a avaliação dada pelo técnico do IEFP: sendo 0, o candidato não será aceite, sendo 1 mantém-se no Programa para avaliação de viabilidade de colocação noutras turmas.

No final do processo, e tendo como referência que o número de candidatos a admitir está diretamente dependente das necessidades de recursos humanos das Empresas, serão admitidos nas ações de formação os candidatos para as turmas disponibilizadas. A ordem de admissão (após aprovação na entrevista) é a que resultar da avaliação obtida nos testes referidos anteriormente.

Nota: no caso de as turmas/localizações selecionadas pela/o candidata/o ficarem sem vagas, a/o mesma/o pode não chegar a ser entrevistada/o.

Etapa 4 – Colocação em Ações de Formação (Turmas)

O processo de colocação será realizado, tendo como base a 1ª opção do candidato.

Os Candidatos aprovados nas entrevistas serão colocados nas ações de formação, seguindo a sua ordenação, determinada com base na avaliação efetuada nos testes online seguindo a média ponderada abaixo referida:

  • Teste de Raciocínio Indutivo: 42%
  • Teste de Raciocínio Dedutivo: 42%
  • Personalidade/competências: 15%
  • Teste de Inglês: 1%

Nota: (1) O resultado do teste de inglês será analisado separadamente, sendo exigido nível B2, abaixo do qual o candidato não será considerado. (2) em situações de falta de candidatos para preenchimento de vagas, poderá este nível ser alterado para B1, para alguma(s) das turmas, obtido o acordo das Empresas que promovem as respetivas vagas.

Sempre que na mesma localização existam turmas dedicadas e turmas partilhadas, o preenchimento das vagas começa pelas turmas dedicadas.

Fechada esta 1ª ronda de colocação o processo correrá novamente tendo como objetivo colocar os candidatos na sua alternativa (2ª opção), nas vagas ainda existentes.

Os candidatos aprovados nas entrevistas, mas não colocados, por terem sido preenchidas as vagas nas localizações/tecnologias que solicitou, mantêm a sua candidatura ativa, quer para eventual colocação em caso de desistência de algum formando colocado, quer para integração em novos ciclos, caso se realizem, ou seja, os candidatos aprovados, mas não colocados, transitam para o ciclo seguinte.

Notas:

  • O Formando mantém a sua posição relativa na lista de colocações ativa, com base na sua avaliação no portal.
  • Ao transitar para um novo ciclo, o candidato será informado por email e terá um período de tempo (tipicamente 48h) para mudar, se assim o entender, as suas opções de tecnologia/localização.

O estado da Candidatura ficará disponível na área pessoal do Portal de Candidatura.