Início

Programa UPskill - Digital Skills & Jobs

O DESAFIO PARA QUEM TEM A AMBIÇÃO DE LUTAR POR UM FUTURO MELHOR!

UMA OPORTUNIDADE ÚNICA PARA AS EMPRESAS TEREM ACESSO AO TALENTO À MEDIDA!

O QUE É

O Programa UPskill visa a requalificação de pessoas – desempregados ou em situação de subemprego – nas várias áreas das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). São as empresas com atividade no mercado nacional que identificam as áreas tecnológicas e as vagas de emprego, de acordo com as suas necessidades efetivas de talento.

Este programa resultou de um encontro de vontades e da colaboração estreita entre a APDC, o IEFP a Academia (CCISP, ISCTE e Universidade do Algarve), que estruturaram este projeto de âmbito nacional com o objetivo de dar resposta à crescente procura de talento qualificado em TIC pelas empresas do mercado. Às pessoas, vindas de áreas consideradas sem empregabilidade, foi lançado o desafio de entrarem num processo de requalificação e serem atores ativos nas várias áreas das TIC.

Deste o arranque do Programa, em março de 2020, regista-se um crescimento do número de empresas aderentes à iniciativa. O que constitui um fator essencial para aumentar o número de ações de formação e de vagas de formação, contribuindo para um dos grandes objetivos do UPskill, da empregabilidade dos formandos.

O sucesso obtido por esta iniciativa resulta de uma união de esforços entre: Pessoas, os candidatos a este novo desafio profissional; as Instituições de Ensino Superior, como centros por excelência de formação; e as Empresas aderentes à iniciativa, enquanto empregadoras dos formandos. O Estado (através do IEFP) assume o papel de principal financiador do Programa, contribuindo para tornar o país cada vez mais competitivo, ao garantir profissionais qualificados e empresas fortes e preparadas para um mundo em profunda transformação e digitalização.

COMO DECORRE

Tudo começa com a adesão das empresas e a identificação do número de profissionais que pretendem contratar, por tecnologia e localização. Segue-se a identificação das áreas tecnológicas e localizações, a estruturação dos cursos de formação e a definição dos respetivos conteúdos pelas Instituições de Ensino Superior envolvidas, em colaboração estreita com as empresas.

A fase seguinte é a abertura de candidaturas a todas as pessoas que pretendam requalificar-se para um setor de elevada empregabilidade e procura de talento. Terão que ter pelo menos o 12º ano completo e, preferencialmente, uma licenciatura pós-Bolonha, assim como um bom domínio de Inglês (B2). No portal upskill.pt serão publicados os requisitos inerentes a cada ação de formação.

Os cursos de formação têm uma duração estimada de seis meses, seguidos de 3 meses de formação em contexto de trabalho (FPCT) nas empresas aderentes. Este período poderá ser alargado até um máximo de seis meses. No final do processo, os formandos serão integrados nos quadros da empresa. O objetivo é que se consiga assegurar a contratação de um mínimo de 80% dos formandos.

Todos as pessoas recebem, durante o período de formação, uma bolsa de formação equivalente ao salário mínimo nacional. Na fase de integração na empresa, o salário mensal que os formandos vão passar a receber será, no mínimo, o equivalente a 1.200€ (valor que inclui subsídio de alimentação).

CICLOS DE CANDIDATURAS POR EDIÇÃO

Para a 3ª edição do Programa UPskill e edições posteriores estão previstos, no mínimo, dois ciclos de candidaturas. Assim, e depois da recolha inicial de necessidades de talento qualificado das empresas, que dará origem ao 1º ciclo de formação, a Direção do Programa continuará a receber intenções de recrutamento para novas ações de formação.

Só será iniciado um novo ciclo se existirem novas ações de formação a criar, na sequência de novos pedidos de empresas, ou se nas ações definidas no ciclo anterior se mantiverem vagas por preencher. Se não for possível ocupar todas as vagas no decurso dos primeiros dois ciclos, admite-se a realização de um 3º ciclo.

Última atualização
7 outubro 2022